O uso de livros escolares de matemática nas escolas da imigração alemã durante a Campanha de Nacionalização

Débora de Lima Velho Junges

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar os impactos da Campanha de Nacionalização no ritual do uso do livro escolar, em especial no uso de livros escolares de matemática, nas escolas da imigração alemã no Rio Grande do Sul. As ferramentas teóricas do estudo estão vinculadas a pesquisadores da imigração alemã e às teorizações foucaultianas. O material de pesquisa consiste em narrativas de seis pessoas que estudaram em escolas da imigração alemã. Os principais resultados da investigação apontam que os livros escolares utilizados antes da Campanha de Nacionalização eram considerados melhores do que aqueles que passaram a ser utilizados posteriormente, porque traziam referências à cultura germânica, e que o uso do livro escolar nas aulas de matemática se constituía em um ritual que disciplinava os corpos dos escolares.


Palavras-chave


Campanha de Nacionalização. Livros escolares. Educação Matemática.

Texto completo:

PDF

Referências


BIEMBENGUT, Maria Salett; GAERTNER, Rosinéte. Livro didático de matemática de escola teuto-brasileira: considerações sobre a obra de Ferdinand Hackbart, Konrad Glau e Hermann Lange de 1906. Revista Brasileira de História da Matemática. v. 10, n. 20, p.173-192, out./mar. 2011.

BRASIL. Decreto-lei nº 1545 de 25 de agosto de 1939. Dispõe sobre a adaptação ao meio nacional dos brasileiros descendentes de estrangeiros. Disponível em: < http://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1930-1939/decreto-lei-1545-25-agosto-1939-411654-publicacaooriginal-1-pe.html>.

BRASIL. Decreto-lei nº 1006 de 30 de dezembro de 1938. Estabelece as condições de produção, importação e utilização do livro didático. Disponível em: .

BRASIL. Decreto-lei nº 868 de 18 de novembro de 1938. Cria, no Ministério da Educação e Saúde, a Comissão Nacional de Ensino Primário. Disponível em: .

BRASIL. Decreto-lei nº 406 de 4 de maio de 1938. Dispõe sobre a entrada, de estrangeiros no território nacional. Disponível em: < http://legislacao.planalto.gov.br/ legisla/legislacao.nsf/Viw_Identificacao/DEL%20406-1938?OpenDocument>.

BREDEMEIER, Maria Luísa Lenhard. O português como segunda língua nas escolas da imigração alemã: um estudo do Jornal da Associação de Professores Teuto-Brasileiros Católicos do Rio Grande do Sul (1900 – 1939). Tese (Doutorado em Educação). Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2010.

DREHER, Martin. O Estado Novo e a Igreja Evangélica Luterana. In: MÜLLER, Telmo Lauro (Org). Nacionalização e imigração alemã. São Leopoldo: Ed. Unisinos, 1994. p. 27-66.

DUARTE, Cláudia Glavan. A “realidade” nas tramas discursivas da Educação Matemática Escolar. 2009. Tese (Doutorado em Educação). Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2009.

FONSECA, Maria Angela Peter da. Estratégias para a preservação do germanismo (Deutschtum): gênese e trajetória de um collegio teutobrasileiro urbano em Pelotas (1898-1942). 2007. 158f. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2007.

FOUCAULT, Michel. Do governo dos vivos: curso no Collège de France, 1979-1980 (excertos). São Paulo/Rio de Janeiro: Achiamé, 2010.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: o nascimento da prisão. 29. ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2004.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 17. ed. Rio de Janeiro: Graal, 2002.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade 2: o uso dos prazeres. 8. ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1998.

GERTZ, René. Ernaine. O perigo alemão. Porto Alegre: Editora da Universidade UFRGS, 1991.

JØRGENSEN, Kenneth Mølbjerg; BOJE, David M. Resituating narrative and story in business ethics. Business Ethics: A European Review, v. 19, n. 3, p. 253-264, jul. 2010.

JØRGENSEN, Kenneth Mølbjerg; NUNEZ, Heilyn Camacho. Ethics and organizational learning in higher education. The International Conference on Higher Education proceeding, 2010.

KREUTZ, Lúcio. Escolas étnicas no Brasil e a formação do Estado Nacional: a nacionalização compulsória das escolas dos imigrantes (1937-1945). Poiésis, Unisul, Tubarão, v. 3, n. 5, p. 71-84, jan./jun. 2010.

KREUTZ, Lúcio. Livros escolares e imprensa educacional periódica dos imigrantes alemães no Rio Grande do Sul, Brasil, 1870-1939. Revista Educação em Questão, Natal, v. 31, n. 17, p. 24-52, jan./abr. 2008.

KREUTZ, Lúcio. A representação de identidade nacional em escolas da imigração alemã no Rio Grande do Sul. História da Educação (UFPel), Pelotas - FAE/UFPEL, v. 3, n. 5, p. 141-165, 1999.

KREUTZ, Lúcio. Material didático e currículo na escola teuto-brasileira do Rio Grande do Sul. 1. ed. São Leopoldo: UNISINOS, 1994.

LORENZ, Karl M.; VECHIA, Ariclé; FERREIRA, Antonio Gomes.. A escola alemã versus as políticas educacionais nacionais na primeira metade do século XX: transformando imigrantes alemães em cidadãos brasileiros. Education Faculty Publications. v. 1, n. 1, p. 1-17, 2008.

MAURO, Suzeli. Uma história da matemática escolar desenvolvida por comunidades de origem alemã no Rio Grande do Sul no final do século XIX e início do século XX. 2005. 251f. Tese (Doutorado em Educação Matemática). Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2005.

PAIVA, César. Escola de língua alemã no Rio Grande do Sul: o nazismo e a política de nacionalização. In.: FIORI, N. A. (Org.). Etnia e educação: a escola “alemã” do Brasil e estudos congêneres. Florianópolis: UFSC, 2003.

QUADROS, Claudemir de. Reforma, ciência e profissionalização da educação: o Centro de Pesquisas e Orientação Educacionais do Rio Grande do Sul. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.

RAMBO, Arthur Blásio. A escola comunitária teuto-brasileira católica. 1. ed. São Leopoldo: UNISINOS, 1994.

SEYFERTH, Giralda. Nacionalismo e identidade étnica: Ideologia germanista e o grupo étnico teuto-brasileiro numa comunidade do Vale do Itajaí. 1. ed. Florianópolis: Fcc, 1982.

WANDERER, Fernanda. Educação Matemática, jogos de linguagem e regulação. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.20435/serie-estudos.v23i49.1121

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN online: 2318-1982
ISSN impresso: 1414-5138 (até n.34, jul./dez.2012)

 

Indexada em: