A educação, o/a educador/a e a exclusão social

Ruth Pavan

Resumo


O artigo é resultado das reflexões teóricas desenvolvidas na tese de doutorado em educação, “A reflexão dos professores e professoras da Educação de Jovens e Adultos sobre a exclusão social”, defendida em 2005, na UNISINOS. Tendo como referência a teoria crítica em educação, discute os efeitos da hegemonia neoliberal para a educação e os desafios suscitados para o/a educador/a. Sustenta que a hegemonia neoliberal procura transformar tudo em mercadoria, inclusive a educação passa de direito à mercadoria, aumentando os processos de exclusão. Os/as educadores/as são vistos como responsáveis pelos problemas educacionais, apontando como solução a competição e aplicação da lógica empresarial. Há ainda um processo ideológico de produção de sentido por meio do qual se enfatiza o “saber-fazer” em detrimento da reflexão teórica, sobretudo a crítica, vista como inútil e perda de tempo. O texto argumenta que para fazer frente à hegemonia neoliberal é necessário que o/a educador assuma seu compromisso político, seja um/ a educador/a crítico/a, capaz de compreender os contextos que o leva a pensar/agir de uma determinada forma para contribuir com a construção de uma sociedade radicalmente diferente, em que os processos de exclusão sejam superados.


Referências


ALENCAR, Chico. Educar é humanizar. In: ALENCAR, Chico; GENTILI, Pablo. Educar na esperança em tempos de desencanto. Petrópolis-RJ: Vozes, 2001. p. 97-117.

APPLE, Michael W. Política cultural e educação. São Paulo: Cortez, 2000.

______. Educando à direita: mercados, padrões, Deus e desigualdade. São Paulo: Cortez/Instituto Paulo Freire, 2003.

ARROYO, Miguel. Educação em tempos de exclusão. In: FRIGOTTO, Gaudêncio; GENTILI, Pablo (Orgs.). A cidadania negada: políticas de exclusão na educação e no trabalho. São Paulo: Cortez, 2001. p. 270-279.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

______. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

______. Professora sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Olho d’Água, 2003. FRIGOTTO, Gaudêncio. A nova e a velha faces da crise do capital e o labirinto dos referenciais teóricos. In: FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria (Orgs.). Teoria e educação no labirinto do capital. São Paulo: Cortez, 2001. p. 23-50.

______. A formação e profissionalização do educador: novos desafios. In: GENTILI, Pablo; SILVA, Tomaz Tadeu (Orgs.). Escola S.A.: quem ganha e quem perde no mercado educacional do neoliberalismo. Brasília: CNTE, 1999. p. 75-105.

GENTILI, Pablo. Neoliberalismo e educação: manual do usuário. In: GENTILI, Pablo; SILVA, Tomaz Tadeu (Orgs.). Escola S.A.: quem ganha e quem perde no mercado educacional do neoliberalismo. Brasília: CNTE, 1999. p. 9-49.

______. A exclusão e a escola: o apartheid educacional como política de ocultação. In. ALENCAR, Chico; GENTILI, Pablo. Educar na esperança em tempos de desencanto. Petrópolis-RJ: Vozes, 2001. p. 25-43.

______. Adeus à escola pública: a desordem neoliberal, a violência do mercado e o destino da educação das maiorias. In: GENTILI, Pablo (Org.). Pedagogia da exclusão: o neoliberalismo e a crise da escola pública. Petrópolis-RJ: Vozes, 1995. p. 228-252.

GIROUX, Henry A. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

______. Cruzando as fronteiras do discurso educacional: novas políticas em educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

MAYO, Peter. Gramsci, Freire e a educação de adultos: possibilidades para uma ação

transformadora. Porto Alegre: Artes Médicas, 2004.

McLAREN, Peter. A vida nas escolas: uma introdução à pedagogia crítica nos fundamentos da educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

MORAES, Maria Célia M. de. Incertezas nas práticas de formação e no conhecimento docente. In: Moreira, Antonio F. B.; PACHECO, José A.; GARCIA, Regina Leite (Orgs.). Currículo: pensar, sentir e diferir. Rio de Janeiro: DP&A, 2004. p. 139-158.

MORGADO, José Carlos. Educar no Século XXI: que papel para o(a) professor(a)? In. Moreira, Antonio F. B.; PACHECO, José A.; GARCIA, Regina Leite (Orgs.). Currículo: pensar, sentir e diferir. Rio de Janeiro: DP&A, 2004. p. 109-137.

PAIVA, Vanilda. Qualificação, crise do trabalho assalariado e exclusão social. In: FRIGOTTO, Gaudêncio; GENTILI, Pablo (Orgs.). A cidadania negada: políticas de exclusão na educação e no trabalho. São Paulo: Cortez, 2001. p. 49-64.

PAVAN, Ruth. As opções do tempo livre dos professores e professoras e a sua relação com a prática docente. 1999. Dissertação (Mestrado) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo-RS.

PINO, Mauro del. Política educacional, emprego e exclusão social. In: FRIGOTTO, Gaudêncio; GENTILI, Pablo (Orgs.). A cidadania negada: políticas de exclusão na educação e no trabalho. São Paulo: Cortez, 2001. p. 65-89.

POCHMANN, Marcio et al. (Org.). Atlas da exclusão social. São Paulo: Cortez, 2004. Vol. 4: A exclusão no mundo.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN da revista: 2318-1982
Indexada em:
BBE - Biblioteca Brasileira de Educação (Brasília, Inep)
EDUBASE - UNICAMP
CLASE - Universidad Nacional Autónoma de México
LATINDEX - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal