Bioexpressão: uma proposta de formação integral dos alunos do curso de Pedagogia

Lucia Helena Pena Pereira, Cíntia Lúcia Lima

Resumo


Este trabalho apresenta a síntese de pesquisa de Mestrado que teve por objetivo geral analisar a Bioexpressão como possibilidade de formação integral dos graduandos do Curso de Pedagogia de uma universidade federal mineira. A Bioexpressão é um conjunto de conhecimentos teórico-vivenciais que visa à compreensão de si e das dificuldades de expressão própria que dificultam a vida, o exercício profissional e as inter-relações, considerando o desenvolvimento do ser em sua integralidade, o que abarca as dimensões cognitiva, afetiva, corporal, social e espiritual. O trabalho tem sua base nas teorias de Wilhelm Reich e seus continuadores – Alexander Lowen, Stanley Keleman e David Boadella. As atividades bioexpressivas se mostram como possibilidades de estimular o autoconhecimento do profissional em formação, seu olhar para o outro e seu entorno, gerando reflexões e propostas de novas formas de atuação.

Palavras-chave: Bioexpressão. Formação integral. Curso de Pedagogia.


Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2008.

BOADELLA, David. Correntes da vida. Uma introdução à Biossíntese. 2. ed. São Paulo: Summus, 1992.

BOFF, Leonardo. Espiritualidade. Um caminho de transformação. Rio de Janeiro: Sextante, 2001.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP 1/2006. Diário Oficial da União, Brasília, 16 de maio de 2006, Seção 1, p. 11.

CÂMARA, Marcus V. A. Reich, o descaminho necessário. Introdução à clínica e a política reichianas. Rio de Janeiro: Sette Letras, 1998.

DAMÁSIO, António R. O erro de Descartes. Emoção, razão e o cérebro humano. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

FREIRE, Madalena. O que é um grupo? In: GROSSI, Esther P. e BORDIN, Jussara (Org.). Paixão de aprender. 12 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001. p. 59-68.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. Saberes necessários à prática educativa. 29. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2004.

KELEMAN, Stanley. O corpo diz sua mente. São Paulo: Summus, 1996.

______. Anatomia emocional: a estrutura da experiência. 3. ed. São Paulo: Summus, 1992.

LOWEN, Alexander. Medo da vida. São Paulo: Summus, 1989.

______. Prazer. Uma abordagem criativa da vida. 6. ed. São Paulo: Summus, 1984.

______. Bionergética. São Paulo: Summus, 1982.

______. O corpo traído. São Paulo: Summus, 1979.

MACHADO, Maria das Graças Queiroz. O brincar no contexto do adoecimento infantil: um recurso de aprendizagem para o fortalecimento da criança frente à doença e frente à vida. 2010. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, 2010.

MATTHIESEN, Sara Q. Reich para educadores. In: BRANDÃO, Carlos da Fonseca (Org.). Intelectuais do século XX e a educação no século XXI: o que podemos aprender com eles? Marília: Poiesis, 2009. p. 139-160.

MATURANA, Humberto. Emoções e linguagem na educação e na política. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2001.

PEREIRA, Lucia Helena Pena. Bioexpressão. Corpo, movimento e ludicidade. Unindo fios, tecendo relações e propondo possibilidades. Curitiba, PR: Editora CRV, 2011.

______. Bioexpressão: a caminho de uma educação lúdica para a formação de educadores. 2005. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador, 2005.

REICH, Wilhelm. Análise do caráter. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

______. A função do orgasmo. Problemas econômico-sexuais da energia biológica. 19. ed. São Paulo: Brasiliense, 1995.

TAVARES, José Pereira da Costa. A Resiliência na Sociedade Emergente. In: TAVARES, José Pereira da Costa (Org.). Resiliência e educação. São Paulo: Cortez, 2001. p. 43-75.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN online: 2318-1982
ISSN impresso: 1414-5138 (até n.34, jul./dez.2012)

 

Indexada em: