As crianças indígenas em escolas da cidade: os conflitos e as tensões nas relações escolares

  • Carlos Magno Naglis Vieira
Palavras-chave: Crianças indígenas em contexto urbano, espaço escolar, conflitos e tensões.

Resumo

O artigo, que resulta de uma pesquisa de doutorado, busca descrever os conflitos e as tensões nas relações entre as crianças indígenas e os demais atores que circulam no espaço de uma escola da rede municipal de ensino de Campo Grande, MS. Com uma metodologia de caráter qualitativo que estabelece uma relação entre identidade, diferença e cultura(s), tendo como eixo de interpretação os processos históricos que produzem sentidos e os significados que realçam ainda mais as relações de poder que hierarquizam as diferentes culturas, o texto está amparado por reflexões teóricas que situam-se no campo dos estudos da Antropologia da Criança, das teorias pós-coloniais e dos autores do grupo Modernidade/Colonialidade. Como os estudos com crianças indígenas em contexto urbano, foco desse artigo, ainda despertam pouco interesse dos pesquisadores, apesar de nos últimos dez anos verificar um crescimento, ainda tímido, sobre a temática, o estudo pretende criar visibilidade para futuros debates envolvendo uma temática, ainda vista, como marginalizada, subordinada e silenciada no espaço da academia.

Referências

ALBUQUERQUE, Marcos Alexandre dos Santos. O regime imagético Pankararu: tradução intercultural na cidade de São Paulo. 2011. 422 f. Tese (Doutorado em Antropologia) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC.

BAUMANN, Zygmunt. Identidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2005.

______. Amor líquido: sobre a fragilidade dos laços humanos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2004.

______. O mal estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: UFMG, 1998.

BERGAMASCHI, Maria Aparecida. Infância nas aldeias Guarani: um modo próprio de estar dos Kyringue. Contexto e Educação, Unijuí, n. 79, p. 223-247, jan./jun. 2008.

BONIN, Iara Tatiana. E por falar em povos indígenas...: quais narrativas contam em práticas pedagógicas? 2007. 220 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, Porto Alegre, RS.

CALDERONI, Valéria Aparecida Mendonça de Oliveira. Nas tramas da igualdade e da diferença frente à alteridade dos alunos indígenas. 124 f. 2011. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, MS.

CANDAU, Vera Maria Ferrão. Diferenças culturais, interculturalidade e educação em Direitos Humanos. Educação e Sociedade, Campinas, v. 33, n. 118, p. 235-250, jan./mar. 2012.

______. Diferenças culturais, cotidiano escolar e práticas pedagógicas. Currículo sem Fronteiras, v. 11, n. 2, p. 240-255, jul./dez. 2011.

______. Direitos Humanos, educação e interculturalidade: as tensões entre igualdade e diferença. In: CANDAU, Vera Maria (Org.). Educação intercultural na América Latina: entre concepções, tensões e propostas. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2009.

______ (Org.). Sociedade, educação e cultura(s): questões e propostas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

CANDAU, Vera Maria Ferrão; RUSSO, Kelly. Interculturalidade e educação na América Latina: uma construção plural, original e complexa. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 10, n. 29, p. 151-169, jan./abr. 2010.

CARDOSO DE OLIVEIRA, Roberto. Urbanização e tribalismo: a integração dos índios Terena numa sociedade de classe. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1968.

CASTRO-GÓMEZ, Santiago. Ciências sociais, violência epistêmica e o problema da “invenção do outro”. In: LANDER, Edgardo (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais - perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO, 2005. p. 80-87.

COHN, Clarice. Antropologia da criança. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

COMISSÃO PRÓ-ÍNDIO DE SÃO PAULO. A cidade como local de afirmação dos direitos indígenas. São Paulo, SP: Centro Gaspar Garcia de Direitos Humanos, 2013.

DAYRELL, Juarez. Múltiplos olhares sobre educação e cultura. 2. ed. Belo Horizonte: UFMG, 2001.

DICKEL, Katia Simone Muller. Experiências interculturais: estudantes Kaingang numa escola não-indígena. 2013. 92 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.

ESPÍNDOLA, Micheli Aline Jorge. Jovens Terena na cidade de Campo Grande (MS): política e geração. 2013. 154 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRN, Natal, RN.

GROSFOGUEL, Ramón. Descolonizando los paradigmas de la economía política: transmodernidad, pensamiento de fronterizo y colonialidad global. In: GARCIA, Regina Leite (Org.). Diálogos cotidianos. Petrópolis: DP e Alii; Rio de Janeiro: FAPERJ, 2010. p. 17-40.

GUSMÃO, Neusa Maria Mendes. Os desafios da diversidade na escola. In: GUSMÃO, Neusa Maria Mendes (Org.). Diversidade, cultura e educação: olhares cruzados. São Paulo: Biruta, 2003. p. 83-105.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Os indígenas no Censo Demográfico 2010. Brasília, 2010. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/indigenas/indigena_censo2010.pdf>.

KRAMER, S. Infância, educação e crítica da cultura em Walter Benjamin. In: GARCIA, Regina Leite (Org.). Diálogos cotidianos. Petrópolis: DP e Alii; Rio de Janeiro: FAPERJ, 2010. p. 187-194. v. 1.

LIMA, Sônia Filiú Albuquerque. “Vão para a universidade, mas não deixem de ser índios”: identidades/diferenças indígenas produzidas na Universidade Estadual de Mato

Grosso do Sul. 2013. 302 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, MS.

MALDONADO-TORRES, Nelson. Sobre la colonialidad del ser: contribuciones al desarrollo de un concepto. In: CASTRO-GOMEZ, Santiago; GROSFOGUEL, Ramon (Org.). El giro decolonial: reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre Editores/(IESCO-UC/Pontificia Universidad Javeriana, Instituto Pensar, 2007. p. 127-168. (Serie Encuentros).

MELO, Juliana. Identidades fluidas: ser e perceber-se como Baré (Aruak) na Manaus Contemporânea. 2009. 225 f. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Universidade de Brasília - UnB, Brasília, DF.

MEYER, Dagmar Estermann; PARAÍSO, Marlucy Alves. Metodologias de pesquisas pós-críticas ou sobre como fazemos nossas investigações. In: MEYER, Dagmar Estermann; PARAISO, Marlucy Alves (Org.). Metodologias de pesquisa pós-crítica em educação. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2012. p. 15-22.

MIGNOLO, Walter D. El pensamiento decolonial: desprendimento y apertura: un manifiesto. In: CASTRO-GOMEZ, Santiago; GROSFOGUEL, Ramon (Org.). El giro decolonial: reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre Editores/(IESCO-UC/Pontificia Universidad Javeriana, Instituto Pensar, 2007. p. 25-46. (Serie Encuentros).

MUBARAC SOBRINHO, Roberto Sanches. Vozes infantis: as culturas das crianças Sateré-Mawé como elementos de (dês) encontros com as culturas da escola. 2009. f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. SC.

MUSSI, Vanderléia Paes Leite. As estratégias de inserção dos índios Terena: da aldeia ao espaço urbano (1990-2005). 2006. 332 f. Tese (Doutorado em História) – Faculdade de Ciências e Letras de Assis, Universidade Estadual Paulista, Assis, SP.

NAKASHIMA, Edson Yukio. Reatando as pontas da rama: a inserção dos alunos da etnia indígena Pankararu em uma escola pública na cidade de São Paulo. 2009. 248 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, SP.

PARAÍSO, Marlucy Alves. Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação e currículo: trajetórias, pressupostos, procedimentos e estratégias analíticas. In: MEYER, Dagmar Estermann; PARAISO, Marlucy Alves (Org.). Metodologias de pesquisa pós-crítica em educação. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2012. p. 15-30.

SANT’ANA Graziella Reis de. História, espaços, ações e símbolos das Associações Indígenas Terena. 2010. 331 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP, Campinas, SP.

SANTOS, Vanúbia Sampaio dos. Expressões identitárias no espaço escolar: um estudo com estudantes indígenas de escolas públicas urbanas de Ji-Paraná, Rondônia. 2014. 166 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Mato Grosso, Cuiabá, MT.

SKLIAR, Carlos. Pedagogia (improvável) da diferença: se o outro não estivesse aí? Rio de Janeiro: D&A, 2003.

VIEIRA, Carlos Magno Naglis. A criança indígena no espaço escolar de Campo Grande/MS: identidades e diferenças. 2015. 228 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, MS.

Publicado
2016-07-26
Como Citar
Naglis Vieira, C. M. (2016). As crianças indígenas em escolas da cidade: os conflitos e as tensões nas relações escolares. Série-Estudos - Periódico Do Programa De Pós-Graduação Em Educação Da UCDB, 21(42), 167-184. https://doi.org/10.20435/2318-1982-2016-v.21-n.42(10)
Seção
Artigos