Entre raça e gênero: significado das cotas raciais para universitárias negras

Palavras-chave: Cotas raciais, Ensino Superior, Estudantes negras.

Resumo

Este estudo objetiva analisar o significado das cotas raciais para quatro estudantes negras, cotistas da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Para tal, utilizamos dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), os quais mostram as discrepâncias entre negros/as e branco/as no Ensino Superior. Os aspectos metodológicos se fundamentam na perspectiva relacional potencializada por Pierre Bourdieu. Desse modo, a abordagem qualitativa foi estruturada a partir do uso de entrevistas. Observou-se a essencialidade das cotas raciais como canais possibilitadores de inserção de negros/as no Ensino Superior. Assim, a inexistência destas limitaria ainda mais a presença deles/as na universidade. Contudo, as cotas raciais, apesar de ensejarem avanços, ainda não conseguiram mitigar o racismo e promover a igualdade racial.

Biografia do Autor

João Paulo Lopes dos Santos, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Mestrando em Educação do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (PPGED/UESB). Departamento de Filosofia e Ciências Sociais.
Nubia Regina Moreira, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Doutora em Sociologia e professora do Mestrado em Educação do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (PPGED/UESB).

Referências

AMADO, João; FERREIRA, Sónia. A entrevista na investigação educacional. In: AMADO, João (Coord.). Manual de investigação qualitativa em educação. Imprensa da Universidade de Coimbra, Portugal, 2013.

AZEVEDO, Celia Maria Marinho de. Cota racial e Estado: abolição do racismo ou direitos de raça? Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 34, n. 121, p. 213-39, jan./abr. 2004.

BARBOSA, Maria Ligia Oliveira. Destinos, escolhas e a democratização do Ensino Superior. Política & Sociedade, Florianópolis, v. 14, n. 31, set./dez. 2015.

BARBOSA, Maria Ligia Oliveira. Desigualdade e desempenho: uma introdução à sociologia da escola brasileira. Belo Horizonte, MG: Argvmentvm, 2009.

BENTO, Maria Aparecida Silva. Branquitude e poder: a questão das cotas para negros. In: SANTOS, Sales Augusto dos (Org.). Ações afirmativas e combate ao racismo nas Américas. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005.

BOURDIEU, Pierre. A distinção: crítica social do julgamento. 2. ed. rev., 2. reimpr. Porto Alegre, RS: Zouk, 2015.

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean Claude. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1992.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil; São Paulo: Difel, 1989.

BRASIL. Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial. Em 3 anos, 150 mil negros ingressaram em universidades por meio de cotas. Brasília, 2016. Disponível em: https://www.mdh.gov.br/noticias_seppir/noticias/2016/03-marco/em-3-anos-150-mil-negros-ingressaram-em-universidades-por-meio-de-cotas. Acesso em: 17 maio 2018.

BRASIL. A democratização e expansão da educação superior no país 2003 2014. Brasília, DF, 2015. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=16762-balanco-social-sesu-2003-2014&Itemid=30192. Acesso em: 16 ago. 2018.

BRASIL. Lei n. 12.711, de 29 de agosto 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Brasília, DF, 2012. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12711.htm. Acesso em: 2 mar. 2018.

CARVALHO, José Jorge de. Ações afirmativas na pós-graduação, na docência superior e na pesquisa. In: SILVÉRIO, Valter Roberto; MOEHLECKE, Sabrina (Org.). Ações afirmativas nas políticas educacionais: o contexto pós-Durban. São Carlos, SP: EDUFSCar, 2009.

DAFLON, Verônica Toste; FERES JUNIOR, João; CAMPOS, Luiz Augusto. Ação afirmativa, raça e racismo: uma análise das ações de inclusão racial nos mandatos de Lula e Dilma. Revista de Ciências Humanas, Viçosa, MG, v. 12, n. 2, p. 399-414, jul./dez. 2012.

FERES JUNIOR, João. Ação afirmativa no Brasil: a política pública entre os movimentos sociais e a opinião douta. In: SILVÉRIO, Valter Roberto; MOEHLECKE, Sabrina (Org.). Ações afirmativas nas políticas educacionais: o contexto pós-Durban. São Carlos, SP: EDUFSCar, 2009. Cap. 1.

FERNANDES, Rosa Maria Castilhos. Educação e desigualdade social: quando as minorias étnicas adentram a Universidade. In: MEIRELLES, Mauro et al. (Org.). Ensino de Sociologia: diversidade, minorias, intolerância e discriminação social. Porto Alegre: Evangraf/LAVIECS, 2013.

GOMES, Nilma Lino. Para além das bolsas acadêmicas: ações afirmativas e o desafio da permanência dos(as) jovens negros(as) na universidade pública. In: SILVÉRIO, Valter Roberto; MOEHLECKE, Sabrina (Org.). Ações afirmativas nas políticas educacionais: o contexto pós-Durban. São Carlos, SP: EDUFSCar, 2009.

GUIMARÃES, Antonio Sérgio Alfredo. Contexto histórico-ideológico do desenvolvimento das ações afirmativas no Brasil. In: SILVÉRIO, Valter Roberto; MOEHLECKE, Sabrina (Org.). Ações afirmativas nas políticas educacionais: o contexto pós-Durban. São Carlos, SP: EDUFSCar, 2009. Cap. 1.

GUIMARÃES, Antonio Sérgio Alfredo. Acesso de negros às universidades públicas. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 118, p. 247-268, mar. 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/n118/16836.pdf. Acesso em: 9 maio 2018.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Sinopse Estatística da Educação Superior 2015. Brasília: Inep, 2016. Disponível em: http://inep.gov.br/sinopses-estatisticas-da-educacao-superior. Acesso em: 5 maio 2018.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA (IPEA). Retrato das desigualdades de gênero e raça. Brasília: Ipea, 2016. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/retrato/indicadores_educacao.html. Acesso em: abr. 2018.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA (IPEA). Ouvidoria. [e-Ouv Sistema de Ouvidorias] Manifestação Respondida no Sistema sobre Censo da Educação Superior 2015/INEP. [mensagem pessoal]. Disponível em: Ouvidorias@cgu.gov.br. Acesso em: 21 ago. 2017.

JACCOUD, Luciana (Org.). A construção de uma política de promoção da igualdade racial: uma análise dos últimos 20 anos. Brasília: Ipea, 2009.

JACCOUD, Luciana; THEODORO, Mário. Raça e educação: os limites das políticas universalistas. In: SANTOS, Sales Augusto dos (Org.). Ações afirmativas e combate ao racismo nas Américas. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005.

LAHIRE, Bernard. Sucesso escolar nos meios populares: as razões do improvável. São Paulo: Ática, 1997.

LIMA, Márcia. Desigualdades raciais e políticas públicas: ações afirmativas no governo Lula. Novos estudos – CEBRAP, São Paulo, n. 87, p. 77-97, jul. 2010.

LOPES, Robson da Silva. O movimento negro no Brasil: lutas e conquistas em prol de uma sociedade equânime. 2014. Disponível em: http://www.pordentrodaafrica.com/wp-content/uploads/2014/08/Movimento-Negro-Brasileiro-Robson-S.-Lopes.pdf. Acesso em: 24 out. 2018.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 34. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

MOREIRA, Núbia Regina. A organização das feministas negras no Brasil. Vitória da Conquista, BA: Edições UESB, 2011.

OLIVERIA, Eliana de. Mulher negra - professora universitária: trajetória, conflitos e identidade. Brasília: Líber Livro, 2006.

SANTOS, Hélio. Desenvolvimento e diversidade étnico-racial. In: SILVÉRIO, Valter Roberto; MOEHLECKE, Sabrina (Org.). Ações afirmativas nas políticas educacionais: o contexto pós-Durban. São Carlos, SP: EDUFSCar, 2009.

SANTOS, Sales Augusto dos. Ações afirmativas nos governos FHC e Lula: um balanço. Tomo - Revista do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade de Sergipe, n. 24, p. 37-84, jan./jun. 2014. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/tomo/article/view/3185/0. Acesso em: 31 abr. 2018.

SENKEVICS, Adriano Souza. Cor ou raça nas instituições federais de ensino superior: explorando propostas para o monitoramento da Lei de Cotas. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2017.

SETTON, Maria Graça Jacintho. Teorias da socialização: um estudo sobre as relações entre indivíduo e sociedade. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 4, p. 711-24, dez. 2011.

Publicado
2019-12-04
Seção
Dossiê: Gênero e Sexualidade: lutas no currículo em tempos de novos mapas políticos e culturais