A produção do texto acadêmico na universidade: o blog Texto científico em ação

  • Arlinda Cantero Dorsa
  • Nicolas Addor
Palavras-chave: Texto científico, divulgação e acessibilidade científica, blog.

Resumo

Este artigo tem por temática a divulgação científica do blog Texto científico em ação, com o endereço eletrônico: <http://texcientifico.blogspot.com.br>, disponibilizado na rede social e elaborado em uma pesquisa de iniciação científica. Volta-se ao estudo do texto acadêmico em seus diferentes gêneros textuais e estruturas gramaticais e formais: resumo, resenha, artigo, notas de leitura, monografias, dissertações, teses, entre outros. A partir do mapeamento das produções científicas já publicadas em periódicos, anais de congresso e livros pelo grupo de estudo de que os autores fazem parte, objetiva a visibilidade e a divulgação científica, facilitando assim o acesso, a pesquisa e o aprofundamento dessa área de conhecimento, válida para todos os membros das comunidades acadêmicas, sejam elas de graduação ou pós-graduação. Enfatiza-se que este trabalho se relaciona ao projeto de pesquisa “Da elaboração do texto na universidade à divulgação científica: visibilidade e acessibilidade” já em seu terceiro ciclo. Faz parte de uma discussão mais ampla, desenvolvida pelo “Grupo de Pesquisa em Patrimônio Cultural, Direitos e Diversidade”, formado por professores-pesquisadores da Graduação e do Mestrado em Desenvolvimento local, pós-graduandos /orientandos, acadêmicos em iniciação científica, com uma visão interdisciplinar, bem como pesquisadores ligados a outras instituições interessados em estudos e pesquisas desenvolvidas no âmbito do grupo acima citado. Conclui-se, ainda que parcialmente, que devemos usar os benefícios da tecnologia para nos aproximar das pessoas que se interessam pela produção textual científica e por aquelas que têm curiosidade de pesquisar e utilizar do blog como um instrumento de acesso à pesquisa e consequentemente ao conhecimento.

Referências

ALBAGLI, Sarita. Divulgação científica: informação científica para a cidadania? Ciência da Informação, Brasília, v. 25, n. 3, p. 396-404, set./dez. 1996.

BARROS, Juliene da Silva. Margens do texto científico. 2009. Disponível em: <http://www.uag.ufrpe.br/docs/Juliene_III.pdf>. Acesso em: 12 maio 2015.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Tradução de Maria Ermantina Galvão G. Pereira. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1981.

BELO, Alessandra Junho Gama; MUNHOZ, Ana Terra Mejia. Educação, escrita e combate ao plágio. 2013. Disponível em: <http://www.alab.org.br/pt/noticias/destaque/158-educacao-escrita-e-combate-ao-plagio>.

______. Os diferentes gêneros discursivos acadêmicos utilizados na iniciação científica: da teoria à prática textual. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CATÓLICA (CNEC), 2., jul. 2013. Anais... Goiânia, GO: Pontifícia Universidade Católica de Goiás, 2013.

FACHINETTO, Eliane Arbusti. O hipertexto e as práticas de leitura. Revista Querubim, ano 1, v. 1, n. 1, p. 27-45, 2005. Disponível em: <http://www.uff.br/feuffrevistaquerubim/images/arquivos/publicacoes/a1v1n1-2005.pdf>.

FAVA-DE-MORAES, F.; FAVA, M. Scientific initiation: many advantages and few risks. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 14, p. 73-77, 2000.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia – saberes necessários à prática docente. 19. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FUNARO, V. M. B. O. Rede colaborativa entre autores em odontologia: docentes dos programas de pós-graduação credenciados em universidades participantes do sistema de informação especializado na área de odontologia (SIEO). 2010. 184 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) - Escola de Comunicações e Artes -Universidade de São Paulo, São Paulo.

GONÇALVES, E. S. B.; BIAVA, E. S. Manual para elaboração do relatório de estágio curricular. 6. ed. atual. Florianópolis, SC: CEFET, 2007.

HORST, C. A.; ZACCHI, C. F. Produção textual acadêmica: o espaço do docente nesse contexto. In: COLÓQUIO DE ESTUDOS LINGUÍSTICOS E LITERÁRIOS, 4. Anais... Maringá, PR, 2010.

KROKOSCZ, Marcelo. Abordagem do plágio nas três melhores universidades de cada um dos cinco continentes e do Brasil. Revista Brasileira de Educação, v. 16, v. 48, set./dez. 2011.

LOVISOLO, Hugo. Comunidades científicas: condições ou estratégias de mudança. Educação& Sociedade, ano XVIII, n. 59, ago. 1997.

MARINHO, M. Escrita nas práticas de letramento acadêmico. Comunicação apresentada no V Simpósio Internacional sobre Gêneros Textuais (SIGET), Caxias do Sul, RS, 2009.

MOTTA-ROTH, Désirée; HENDGES, Graciela. Produção textual na universidade. São Paulo: Parábola, 2010.

RAMIRES, Vicentina. Gêneros textuais e relações de poder na comunidade acadêmica. Veredas, Juiz de Fora, MG, n. 1, p. 66-79, 2007.

REIS, J. A. Divulgação científica e o ensino. Ciência e Cultura, São Paulo, v. 16, n. 4, 1964.

ROJO, R. Gêneros do discurso e gêneros textuais: questões teóricas e aplicadas In: MEURER, J. L.; BONINI, A.; Motta-Roth, D. (Org.). Gêneros: teorias, métodos, debates. São Paulo: Parábola, 2005.

SILVA, Maurício da. Repensando a leitura na escola: um mosaico. Niterói, RJ: EdUFF, 2002.

VALÉRIO, M.; BAZZO, W. A. O papel da divulgação científica em nossa sociedade de risco: em prol de uma nova ordem de relações entre ciência, tecnologia e sociedade. Revista Ibero-americana de Ciência, Tecnologia, Sociedad e Innovación, n. 7, set./dez. 2006. Disponível em: <http://www.oei.es/revistactsi/numero7/articulo02b.htm>. Acesso em: 20 out. 2012.

Publicado
2016-07-26
Como Citar
Dorsa, A. C., & Addor, N. (2016). A produção do texto acadêmico na universidade: o blog Texto científico em ação. Série-Estudos - Periódico Do Programa De Pós-Graduação Em Educação Da UCDB, 21(42), 79-92. https://doi.org/10.20435/2318-1982-2016-v.21-n.42(05)
Seção
Artigos